Notícias

LOGÍSTICA REVERSA - TUDO SE TRANSFORMA!

LOGÍSTICA REVERSA - TUDO SE TRANSFORMA!

15/05/2012

A idéia central da logística reversa é a de que a vida útil do produto não termina após ser consumido, mas volta ao seu ciclo de vida para reaproveitamento ou para uma destinação ambientalmente adequada. 

Na prática é a devolução de mercadorias que já esgotaram sua vida útil e retornam do cliente final para distribuidor ou indústria permitindo a reciclagem, reuso e desmanche para a fim de serem utilizados novamente em outros processos.

Mas para que a logística reversa funcione é preciso o envolvimento de todos, desde a linha de produção e distribuição; fabricantes, distribuidores, comerciantes até o próprio consumidor final, responsável pela devolução do produto aos postos de coleta.

No Brasil, a logística reversa se tornará lei, e segundo a A PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos), aprovada em 2010, será dado um prazo até 2014 para a implantação da mesma, englobando inicialmente o recolhimento de resíduos e embalagens de agrotóxicos; pilhas e baterias; pneus; óleos lubrificantes; lâmpadas fluorescentes, produtos eletroeletrônicos e seus componentes, embalagens em geral e produtos da indústria farmacêutica.

No caso das lâmpadas fluorescentes especificamente; uma lâmpada contém entre 30 e 150 mg de mercúrio, dependendo da potência. Se descartada sem cuidados, pode contaminar até 20 mil litros de água.Com a logística reversa, o mercúrio extraído volta para a indústria para a fabricação de termômetros e amálgamas e o restante como soquetes, terminais elétricos e bulbos de vidro são separados e seguem para trituração e reciclagem transformando-se novamente em matéria-prima.

Enquanto a lei não entre em vigor, fabricantes, empresas e associações veem se antecipando e buscando caminhos para a coleta e reciclagem adequada concluindo o ciclo de vida útil das lâmpadas. Ações concientizadoras, como a abertura de postos de coleta de onde os materiais recolhidos são encaminhados para a reciclagem adequada, vêm crescendo progressivamente.

Em Londrina temos como exemplo, duas empresas de materiais elétricos, Eletro Ville e Casa das Bombas, as quais desde 2009 passaram a recolher as lâmpadas queimadas de seus clientes. Na compra de novas lâmpadas, os consumidores podem descartar suas lâmpadas queimadas, sem custo algum, as quais são posteriormente descontaminadas e transformados novamente em matéria prima, completando o ciclo da logística reversa.

A ação gerou números expressivos de descarte segundo Priscila Moreira da Eletro Ville; “Logo que  abrimos o posto de coleta na loja tivemos um grande apoio da mídia, a qual se interessou pelo tema e ajudou muito a despertar  a população para os perigos das lâmpadas queimadas e isto incentivou muito as pessoas a colaborarem com a ação. Ao longo do tempo o descarte foi crescendo progressivamente, porém ainda falta muita informação, temos certeza que com esclarecimentos e incentivos a população se mobilizará cada vez mais. Também esperamos colaboração dos fabricantes em relação a logística reversa pois todos os custos do descarte e descontaminação das lâmpadas são pagos pela nossa empresa”.

Enquanto a lei não entra em vigor a iniciativa de empresas e organizações abrem os caminhos para que a logística reversa passe a ser um hábito, pois a reciclagem se tornou vital e os produtos que já estão obsoletos, sem condição de uso, terão de ser transformados para que não precisemos utilizar mais recursos da natureza, mantendo assim a sustentabilidade do planeta.

Outras notícias